Obrigadinho...

Eu estou metido num concurso do Diário de Notícias direccionado às escolas (podem consultar o site clicando aqui).

Fiz um editorial, juntamente com o meu grupo, como já o mostrei, aliás, no blog. Procurem por aí que devem encontrar.

Estava tudo bem, o grupo que dirige o concurso tinha-nos dito que sim senhora, em princípio, iríamos entrevistar o Rui Veloso na segunda fase do concurso, mas não tinham a certeza disso. Eu na altura estava muito empolgado com isto, mas decidi não divulgar a toda a gente (só a algumas pessoas), da entrevista que poderia fazer, porque tinha medo que afinal o Rui Veloso não viesse à entrevista (o que já achava muito provável...).

E, na verdade, isso aconteceu.

Uma semana antes do dia DN (o dia da entrevista), em que já estavam preparadas quinze perguntas para o «Chico Fininho», e quando eu já pensava para mim mesmo que «sim, afinal é verdade, vou entrevistar o Rui Veloso», dizem-nos que «ah, afinal ele não pode vir».

E decidem substituir o nosso suposto entrevistado pelo jornalista do DN e radialista da RADAR Nuno Galopim.

Eu acho que isto não tem mal nenhum, mas o que penso é que só escolheram este entrevistado porque, lá está, é ligado ao DN (quando poderiam ter escolhido outro entrevistado que fosse um cantor, como o Tim, o José Cid... olhem, até mesmo o Tony Carreira!). Também digo que o DN tem uma má organização porque só nos disse isto uma semana antes do dia DN (devem pensar que não tenho vida própria!). E também acho que este convidado, vá, é ligado à música, principalmente sobre o artigo que escrevi para a primeira fase do concurso (embora que, segundo o comentador do meu blog especialista em música, é uma bodega), mas... eu não tenho muitas perguntas para lhe fazer, assim originais, como tinha para o Rui Veloso. Agora vou ter que pensar muito para poder fazer perguntas decentes ao entrevistado... Mas quer dizer... é que ele, segundo o blog dele, que fui dar uma espreitadela, e ao seu facebook (adicionei-o como amigo, mesmo que ele não adicione - quem adiciona um estranho como eu? - mas pelos seus gostos musicais, já vi que não é do estilo de música que é mais do meu agrado), vou ter problemas ao elaborar as perguntas.

Vou ter que fazer um grande trabalho de investigação estes dias... Quando se dizem assim as coisas à toa, quase em cima da hora, deve ser mesmo para ver se os grupos não passam à próxima fase do concurso...

Só espero é que o Rui Veloso não vá àquele grupo de um colégio que também o queria como convidado... desculpem dizer isto, eu sei que é um bocado maldade nem eu costumo dizer estas coisas, mas acho que era um bocado injusto... Eles, que fizeram um artigo ainda mais de bodega que o meu... Eu passo-me se isso acontecer. A sério...

A entrevista será feita na quarta-feira, dia 2 de Março.

Por isso, desejem-me sorte.

Muita sorte.


P.S (dos grandes) - Eu tenho o péssimo hábito de não reler os posts antes de os publicar.
Portanto, se calhar, daqui a bocado devo estar a alterar alguma coisa que ache que seja demasiado «livre»... ou seja, eu sei que tenho liberdade de expressão, mas não devia dizer coisas desse género. Mas se isto é um blog, onde posso expressar a minha opinião (e não ganho dinheiro para fazer isso), as coisas são para serem ditas.
Talvez desta maneira consiga que alguém me ajude com isto...
Só espero é que ninguém do DN se depare com isto e profira: «Ó diabo... Queres ver que vai haver sarilho?», e me desclassifique. Ou até o próprio Nuno Galopim!
Mas sabem... ao escrever agora o parágrafo antes desse, pensei: Talvez até quarta-feira, numa altura em que já conheça melhor o convidado para a entrevista, já deva ter mudado de opinião e deva ter uma data de perguntas para lhe fazer. Como uma colega minha disse hoje na aula de literatura, talvez esta entrevista, com uma pessoa ligada à comunicação social, seja uma porta para se eu um dia quiser ir para jornalismo... Talvez até fale deste post ao entrevistado, e da maneira que a minha opinião mudou... Sim, vou fazer isso, se a minha opinião mudar. Se não mudar, paciência. Também posso admitir não saber nada sobre ele, o que pode custar caro para o concurso... opá sei lá! Só não gosto é de dizer mal das pessoas sem as conhecer, que é o que penso que fiz sem intenção neste post (se conhecer a pessoa da cabeça aos pés, tudo bem. Digo mal à vontade porque sei que tenho razão no que estou a dizer)...

Depois vejo o que irei fazer...

Comentários

  1. Porque não lês alguns dos artigos dele ( http://www.dn.pt/pesquisa/default.aspx?Pesquisa=nuno%20galopim ) e depois preparas uma série de perguntas com base em coisas que discordes ou concordes?... É uma ideia. Parte do que ele próprio diz para construíres o que tu próprio queres dizer ou saber...

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelo conselho!

    Ontem, o professor de Filosofia esteve a falar connosco sobre os cartazes da entrevista que estão espalhados pela escola e deu o mesmo conselho. Já é uma grande ajuda!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).