domingo, 23 de janeiro de 2011

Tradução... fraquinha

Andei a fazer a tradução portuguesa de uma canção para uma peça de teatro em que estou a participar na escola. Disseram que a minha cena estava por minha conta, e então decidi mudar algumas coisas. Uma delas foi criar um momento musical.

E assim, decidi pegar no «Always Look On the Bright Side of Life» do Eric Idle, dos Monty Python, e fazer a minha versão, pegando também na tradução que o Nuno Markl fez para a peça «Os melhores sketches dos Monty Python», da qual fiz algumas colagens de frases (espero que isto não me dê processo de direitos de autor...) mas tirando as ideias (geniais, na minha opinião) da morte. Porque esta música vai ser usada na peça numa cena em que o objectivo é fazer pensar às pessoas que não devem perder o sentido de humor. Daí o refrão.

Mas vejam a minha versão. Vejam, vejam.

Na vida há coisas más
Que nos deixam de pé atrás
Outras coisas só nos fazem praguejar
Quando te cair tudo em cima,
Não desistas, assobia,
E vais ver como tudo pode melhorar!

Olha sempre para o lado fixe da vida!
Olha sempre para o lado fixe da vida!

Se a vida é uma trampa
Não penses já na campa
Tu tens é de rir, cantar e dançar
Quando no meio de tudo estiveres
Só és triste se quiseres
Junta os lábios e começa a assobiar!

Olha sempre para o lado fixe da vida!
Olha sempre para o lado fixe da vida!

A vida é tresloucada
Mas não a deixes inacabada
Tu tens de deixar cá boa impressão
Esquece o pessimismo
E muito menos o dramatismo!
E diverte-te, pois é essa a questão!

Olha sempre para o lado fixe da vida!
Olha sempre para o lado fixe da vida!

Haverá sempre um imbecilzinho
A meter-se no teu caminho
Mas ouve aqui, escuta com atenção
Tu vais sair daqui
Com uma mensagem a tocar aí
Mesmo no teu coração

Olha sempre para o lado fixe da vida!
Olha sempre para o lado fixe da vida!

(eu se que está mázinha, mas pode ser retocada... aceitam-se sugestões!)

Agora só falta arranjar um instrumental adequado, sem vozes, e que tenha um som audível.

Até agora, ainda não encontrei nenhum nessas condições.

Se alguém quiser ajudar, é bem vindo!

E peço desculpa ao Eric Idle por ter deturpado de maneira tão grande a mensagem da frase original. Para bater certo com a cena, tinha de ser assim. Quer dizer, também não acho que ele vá ler algum dia este blog... nunca se sabe, nunca se sabe...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).