domingo, 9 de janeiro de 2011

Os homens do presidente... e uma notinha sobre a falta de profissionalismo com que certas pessoas legendam os filmes...


Há bocado, vi este filme na RTP2.

Além de poder ter feito o meu pequeno julgamento sobre este filme, quero fazer um apontamento sobre a péssima qualidade da legendagem do mesmo. E não, caros (e caras) leitores (e leitoras), não estou a referir-me aos, já clássicos, erros de tradução dos filmes (que também são um bom entretenimento para fazer uma espécie de jogo de caça ao erro). Estou a falar de ERROS DE ORTOGRAFIA! Mais propriamente QUASE DUAS DEZENAS!

Cada vez menos percebo este «serviço público»...

É que a RTP tem um departamento de legendagem tão grande, e fazem os subtítulos deste filme como se tivessem pressa? Palavras mal escritas... epá... poupem-me! Se fosse no Odisseia, ou no National Geographic, ainda compreendia, pois são canais de cabo de «enlatados»... mas agora a televisão do Estado?

Poupem-me...

E em relação ao filme:

É uma fita interessante, mas que não chega a ser mais que apenas interessante... a temática do filme (o caso Watergate) tem muito bom material para ser filmado, mas muitas coisas importantes foram deixadas de parte, principalmente no final, em que os acontecimentos que se sucederam à publicação da notícia dos dois jornalistas são passados a correr através da passagem de notícias para a máquina de escrever (contando vários acontecimentos que vão de 1973 até à demissão do Nixon, em 1974), e gastaram tempo com coisas desnecessárias. Algo parado, mas mesmo assim é um filme bonzinho, com boas interpretações do Dustin Hoffman e do Robert Redford.

7/10

2 comentários:

  1. Anónimo9/1/11 06:15

    Gostei do blog. Ainda bem que há gente mais nova a interessar se por cinema.Também gostei da sinceridade com que é escrito.Estás de Parabéns.

    Um anónimo que aprecia qualidade, das coisas e das ideias

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado pelo simpático comentário!

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).