domingo, 14 de novembro de 2010

Mais um capítulo atrasado, o 29.º

Uau!

O próximo é o 30!

Mas agora leiam o 29.º...

Porque senão não vão perceber nada do próximo!

É como no Harry Potta, ou lá como se chama!

Olho Morto, Detective Público

Um caso muito particular

Parte 29

-A que horas chegaste a casa do Rui?

-Faltavam quinze minutos para as nove - respondeu-me ele´.

-E o que te lembras desse dia?

-Cheguei, falei com algumas pessoas...

-Algumas?

-Sim, algumas. Não sei se sabes, mas muitos dos nossos ex-colegas, eu cortei relações...

-Mas então porquê?

-É uma longa história. Foi no 10.º ano. Maior parte dos nossos ex-colegas, incluindo eu, e o Rui, foram para o mesmo liceu, acabada a estadia na outra escola. Se eu me lembro, tu foste para outro liceu...

-Sim, fui. Se queres que te diga, não me arrependi nada.

-Bom, se o dizes... E aí, nessa nova escola, as pessoas que faziam parte da turma foram mudando, e começaram a meter-se em certas coisas que me fizeram separar-me deles.

-Mas eles andavam metidos em quê? Drogas? Álcool?

-Bem, sim, mas... Olha, Nelo, eu vou-te contar isto, mas não quero que contes a mais ninguém! É altamente secreto, e se alguém sabe...

-OK, OK. Conta lá, então.

-É óbvio que eles andavam metidos nessas coisas, mas foram mais longe... de uns cigarros, que é o normal das pessoas dos liceus, passou para LSD, cocaína...

-Meu Deus! Quem é que fornecia esse material?

-Eram duas pessoas da antiga turma...

-Quem?

-Ai caramba, estou tão feitinho...

-Conta porra! - respondi-lhe agressivamente.

-Está bem, está bem! Eram a Ana e o Estevão!

Aí, a minha mente teve uma espécie de choque.

-O QUÊ?! A Ana e o Estevão?

-Sim, Nelo.

-A ANA? Nunca pensei! Como é que ela... Mas que grande revelação que me fizeste João! Safa... ainda bem que «abandonei» a turminha! E o Estevão... que agora é um político de fatinho e que fuma cachimbo... Ahah! Meu Deus! Isto é um clássico!

-Ai é? - perguntou o João, algo confuso.

-Sim. O Bush também era um homem um pouco rebeldinho, como o nosso caro Estevão, e tornou-se presidente dos EUA!

-Bem, mas não era rebelde para snifar cocaína ou «chutar» LSD...

-Chutar?

-Injectar.

-Ah - disse eu, continuando. - Claro que não, mas foi rebeldezinho também... não nesses aspectos, mas foi daquele típico americano, armado... em parvo.

-Está bem. - respondeu-me- Espero que te tenha ajudado.

-Calma aí, calma aí! Isto ainda não acabou! Quero que me acabes de responder a esta pergunta, e depois tenho mais para te fazer!

-Está bem, está bem. Vamos lá a despachar isto!

Mas que grande dado que tinha descoberto agora! Será que algo tinha a ver com a morte do Rui? Ainda falta muito para descobrir...

Continua...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).