sexta-feira, 23 de abril de 2010

Dia Mundial do Livro

Já devem ter percebido que dia é hoje.

Além de ser sexta-feira, dia 23 de Abril, hoje é o Dia Mundial do Livro, um objecto que muita gente não conhece o seu valor, infelizmente, nos nossos dias.

Há livros que fazem pensar, sonhar, inventar...

Eu sou um fã absoluto de livros.

Em papel, claro. Não é em «e-books», que parece uma nova tecnologia em que dá para meter muitos livros dentro de uma tela tecnológica para depois os possamos ler.
Em vez de termos um livro encadernado, com folhas, e se for novo, com aquele «cheirinho», temos agora uma tecnologia que nos permite ler o livro num ecrã.

Que estupidez! É claro que tira a essência do livro!

É pena que Portugal seja um país que leia pouco. Já se lê, mas devia-se ler MAIS.

E se pusessem as leituras em dia? Olhem que é uma óptima ideia!

Mas agora, quero fazer aqui uma retrospectiva dos melhores livros que li até hoje, e que na minha opinião toda a gente devia ler.

«O Principezinho»
É um livro, que deixa-nos pensar. É intemporal e inesquecível. Lê-se em qualquer idade. Se nunca leram, e tiverem um lugar vago nas vossas leituras, sugeria que lessem este livro.
Nem preciso de mencionar a história dele, basta dizer que é um pequeno príncipe que vive no asteróide B-612 e que faz uma viagem a vários planetas onde em cada um vive um indivíduo que fazem um conjunto de uma perfeita crítica à sociedade mundial.
Obrigatório ler.

«O carteiro de Pablo Neruda»
Conta a história da relação de um carteiro com Pablo Neruda, o poeta chileno. Acontecem várias coisas pelo meio, mas o factor principal deste livro é a amizade que se vai criando entre estas duas personagens, que acaba (sem revelar grandes pormenores) com a morte do poeta no fim do livro. É um bom livro, que lê-se rapidamente, e que é outro que ninguém tem desculpa para não ler.

«O meu pé de laranja lima»
Um dos únicos livros brasileiros que li (embora existem muitos autores bons por aquelas bandas) e o melhor que li daquele país. Conta a história de Zézé, um menino pobre, que o seu amigo e confidente é um pé de laranja lima a que dá o nome de Minguinho. Mais tarde, tem um novo amigo, um homem vindo de Portugal, a quem ele trata por «Portuga». Vale a pena ler.

«20 000 léguas submarinas»
Este não é daqueles livros que toda a gente consiga ler. Tem uma escrita antiga, com mais de 100 anos, e é da autoria de Júlio Verne. Os livros dele são à base de invenções e aventuras, mas eu achei que este livro deveria pertencer ao quadro de Honra dos meus livros favoritos. Um monstro marinho ataca vários navios vai ser investigado pelo professor Arronax e pelo seu amigo Conseil quando eles os dois e Ned Land, um marinheiro, são capturados pelo dito monstro, que é nada mais nada menos que um sumbarino, não existente nessa época (é aqui que se vê o quão vsionário era Júlio Verne). Este livro é diferente de todos os outros deste autor, na minha opinião. Vi a adapação da Disney (em imagem real) e gostei tanto que decidi ler o livro. Nemo, o capitão do submarino, é uma espécie de filósofo, e com esta personagem, Verne decide dar aos seus leitores uma crítica à condição humana. Este livro já é um bocado grande, não como os outros livros desta lista que rondam as 150 páginas. Este livro ultrapassa as 500, mas se vocês tiverem coragem de o ler, vão ver que é um bom livro.

«O rapaz do pijama às riscas»
Um relato contado do ponto de vista de uma criança das atrocidades do holocausto. Bruno, um jovem cujo Pai é um alto funcionário do Nazismo, é mandado a ir trabalhar para um campo de concentração, e ele e a sua família vão para uma casa para esses lados viver. Um dia, Bruno faz-se de explorador e chega à rede que envolve o campo de concentração e conhece um menino que está do outro lado da vedação, de pijama às riscas. E não conto mais. Leiam o livro, ora!

Estes foram os melhores livros que li até hoje. Talvez me possa ter esquecido de algum, mas estes 5 já são bons.

Repito, gostava que lessem pelo menos um dos livros que acho os melhores que já li.

Podem-me fazer esse favor?

Agradecia.

1 comentário:

  1. Vou tentar ler um desses que indicaste, porque pelas tuas descrições parecem ser muito giros. Gostava de ler "O Meu Pé de Laranja Lima", já ouvi falar muito bem dele..

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).