Coisas que me irritam (n.º19) - Os talk-shows nacionais

Mesmo que os da tarde sejam iguais aos matinais, ver um talk-show de manhã dá-me sempre vontade de, desculpem a expressão, «vomitar-me todo».

Literalmente.

Mas, pensem lá comigo!

Quem é que, na sua perfeita consciência, e estando de perfeita saúde, sintoniza o televisor na RTP1, na SIC ou na TVI para ver aqueles talk-shows matinais só com desgraças de pais que matam os filhos e cortam-nos às tiras e depois metem esses 'restos' na zona de charcutaria do supermercado mais próximo?

(Este caso é completamente recambolesco e inverosímil. Peço perdão. Mas os casos normais que costumam aparecer nos talk-shows nacionais costumam ser mais ou menos deste género...)

Eu sei que às vezes sou um pouco arrogante nestas coisas, e que me dizem que é importante falar nestes problemas na televisão, e blablabla, mas por favor, podem fazê-lo quando quiserem, desde que não seja DE MANHÃ, PORRA! FAÇAM NOS TALK-SHOWS DA TARDE (ah, esqueçam, lá também já fazem em abundância. Então, têm boa solução. PONHAM NUM HORÁRIO LÁ PARA A MADRUGADAZINHA, 'TÁ BOM?)

É que eu não gosto. Peço desculpa, mas não gosto.

Mas não é só os casos insólitos que me irritam nos talk-shows nacionais. Também aquelas personagens-que-não-se-percebem-de-onde-é-que-vêm-e-que-são-muito-frequentes-neste-tipo-de-programas são muito, mas muito, ah sim, muuuuuuitooo irritantes!
Para já, 'quaise' nunca têm piada. Segundo, porque aparecem sempre do nada, e terceiro, porque quando aparecem, na maior parte das vezes, os apresentadores costumam dizer: «Oh, diabo! Então você estragou-me o programa?» ou «Mas que raio você está aqui a fazer?», e a rirem-se que nem bobos.

Irrita-me.

E também os convidados musicais. Uuuui! desses nem se fala! É Emanuel, é Toy, é Tony Carreira, é Beto, é Ana Malhoa, é Toy outra vez, é Tony Carreira a cantar com o seu rebento, é Ana Malhoa a cantar com o seu progenitor, etc, etc, etc...

Os talk-shows são ricos nesta matéria. A pimbalhada.

E, para terminar, outra coisa que me irrita muito, mas muito, mas mesmo mesmo muito, nos talk-shows, é as tertúlias de fofocas.

Vai a Lili Caraças falar da nova vida do fulano X, vai a Cinta Jardim falar do casamento da tipa Y, vai aquele Cláudio Ramalhetes da SHIC (ahahah, a SIC é SHIC. Trocadilho da treta. Sim senhor, o Ruizinho está a denegrir-se um pouco com os seus trocadilhos linguísticozinhos), como se fosse o maior do mundo, a falar dos famosos 'ai que eu sei tudo sobre eles! Ai que eu sou o Rei da Fofoca! Tratem-me como o comandante deste grande navio que é o jet-set português!».

E depois, para disfarçar, põem um bocadinho de cultura no meio. 'Ai Guimarães é tão bonito', e 'venham visitar Óbidos que é muito giro', mas depois volta tudo ao mesmo.

Mas os talk-shows, em todo o mundo, são da mesma laia! São assim uma mistura de enjoo, náuseas, dores de cabeça, enxaquecas e tédio profundo, em todo o mundo, sem excepções. Talvez, no nosso paíszeco, esses sintomas sejam mais fortes. Podem tomar as aspirinas que quiserem que estes sintomas não vão sair de vós até mudarem para um canal que não esteja a dar um talk-show. Pelo menos, no meu caso, é assim...

...

Resumindo e concluindo: Quem, minhas caras leitoras (e alguns leitores), quem, é que pode gostar de um tipo de programa assim? Quem?

Ah, esperem. Parece que cerca de metade da população portuguesa vê esses programas.

-.-'

E pelo menos mais meio bilião de pessoas em todo o mundo, com os seus talk-shows locais.

Isto 'tá bonito 'tá...

---------------------------------


Se você, que leu isto, for fã deste tipo de programas e não gostou da opinião relatada neste post por um estranho indivíduo, por favor deixe-se estar no seu lugar. Mesmo que queira dar meia dúzia de tabefes nesse certo indivíduo (incógnito, está claro), não o faça. A sério. Mantenha-se no seu lugar. Agora respire fundo. Aaaaah! Que alívio! Pronto, agora esqueça tudo o que leu aqui e mantenha a paz interior no seu corpo, sem pensar nestas linhas que tanto lhe causaram mágoas no pensamento por este indivíduo criticar um tipo de programa que é do seu agrado. Agora, por favor, sinta a calma e o bem-estar na sua mente. Não se está a sentir melhor? Pronto.

Assinado

Dalai Lama

(eu tenho todo o respeito pelo Dalai Lama, aliás, acho-o um tipo muito fixe. Isto só serviu para prevenir certa tareia que possa apanhar por dizer a minha opinião. Eu sei que ninguém vai ficar ofendido, mas gosto de pensar que sim. Talvez, se um dia alguém se ofender com o que eu opino, o meu blog se torne famoso. Mal-visto, mas famoso. Criticado e injuriado, mas, digamos, com alguma fama...)

Comentários

  1. Desculpa lá, já sei que deu 'polémica', mas tenho mesmo de dizer que coooncordo! Então com a parte da família Carreira...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).