sábado, 19 de dezembro de 2009

Uma afamada crónica sobre o Natal

Ah, o Natal. Chegámos àquela época do ano em que as ruas estão iluminadas, as lojas com as caixas registadoras cheiinhas (principalmente as dos centros comerciais) e em que sangue, suor e lágrimas mais se espalham pela cidade de Lisboa e noutras também (principalmente no dia 24 de Dezembro, nas chamadas «prendas de última hora»).
Como ser humano e pessimista que sou, tenho de confessar uma coisa. Odeio o Natal. Não gosto do marketing todo que se faz à volta do Natal! Uma época que devia ser de paz, ternura, partilha, e tudo o resto, tornou-se numa época de papel esverdeado precioso que é totalmente desperdiçado. É claro que já devem ter ouvido muitas vezes isto, mas acho que este post é só para vos dizer que isto chegou ao limite. Outro dia, na RTP2, estava um filósofo francês a dizer que «o consumismo é tanto, que para onde quer que vamos há consumismo.». Para exemplificar, até numa estação de metro! Até há consumismo numa estação de metro! Portanto é altura de parar um pouco, não gastar tanta massa no Natal, ok? É como o meu pai diz, «o Natal deve ser todos os dias», e se devia ser assim então porque é que só uma vez por ano é que somos bons para os que estão mais próximos?
Mas, para mim, há uma coisa positiva no Natal. Depois de ter dito muito mal desta época, lembro-me que, quando chega a meia-noite de dia 25 (hora de abrir os presentes na minha família) há aquela magia que o Natal só pode dar, de partilha, como já falei, mas apenas uma vez por ano. E se o fizéssemos mais vezes, não digo todos os dias, mas ajudar os que estão mais próximos de nós com coisas simples?

Pensem nisto, e um feliz Natal e bom ano novo para todos vocês.

Rui Sousa

4 comentários:

  1. "Depois de ter dito muito mal desta época, lembro-me que, quando chega a meia-noite de dia 25 (hora de abrir os presentes na minha família) há aquela magia que o Natal só pode dar, de partilha, como já falei..."

    Ah, então tens sorte...essa 'magia' para mim tem se vindo a perder de há uns anos para cá...agora não há mesmo nada de bom no Natal...simplesmente deprimente. :\

    De qualquer das maneiras..adoro este post! :)

    ResponderEliminar
  2. Bom, também acho que sim. Mas não é a magia das prendas. Mas sim de estar com a família, com as pessoas que são mais importantes para nós, naquela hora, naquele dia, naquele momento.

    De resto, o Natal é uma treta

    ResponderEliminar
  3. Sim, eu percebi a que é que te referias...mas disso mesmo que eu estou a falar...a magia de estar com a família e isso...ultimamente ou não estou com a família toda, ou metade da família adoece, ou metade da família está de mau humor e estraga o ambiente, ou há uma mudança de planos à ultima da hora que estraga tudo...enfim...mas falo por mim lol. E eu fico deprimida e deprimente com o Natal, o que as vezes é capaz de contribuir para o mau ambiente...e nem faço de propósito a sério, mas há qualquer coisa que me deixa assim no Natal...

    ResponderEliminar
  4. Mas eu nao digo TODA a família, pois nem conheço prai metade da minha familia - os primos mais distantes, etc.
    no dia 24, é com os pais e com as minhas irmas e com o meu sobrinho, so no dia a seguir e com toda a minha familia.

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).