sexta-feira, 24 de julho de 2009

bah!

Estive desaparecido pois não tive paciência de vir à internet.
Ontem, fui ver o filme da Amália ao ar livre, no INATEL.
Uma seca de cinema português (a história até é boa e a estrutura também, mas a caracterização da Amália aos 60 e tal anos - parece um travesti - e o sotaque do Salazar-porque é que os realizadores têm a mania de pôrem o Salazar a falar «à beira»?)

Mas o que foi bom é que a TV estava lá.

E eu apareci a acenar para a câmara.

Pronto, vim só aqui para dizer-vos isto.

Mais uma linha.

Esta é a última.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).